Controles internos e compliance: entenda qual é a relação entre eles

Você sabe qual é a relação entre controles internos e compliance em uma empresa? Esses conceitos vêm sendo muito difundidos, especialmente nos últimos anos. A grande questão é que poucos entendem que um depende do outro para funcionar com toda a sua eficiência.

Pensando na importância do assunto, nós resolvemos escrever este artigo. Nele, mostraremos os conceitos de ambos os termos para aqueles que ainda não os conhecem, bem como a relação que existe entre os dois.

Continue lendo este texto e descubra como a utilização de controles internos e compliance, de forma unificada, pode mudar os rumos do seu negócio.

O que é o controle interno e qual a sua função?

O controle interno pode ser definido como um conjunto de vários procedimentos estruturados por sistemas administrativos e especificados nas próprias normas e rotinas da empresa. Eles são executados no dia a dia ao longo da estrutura organizacional, ou seja, por todos os diversos departamentos que ela mantém.

O objetivo ou a função principal do controle interno é a geração dos resultados planejados pela gestão da empresa e, para isso, esses processos visam à administração e ao gerenciamento de várias questões, como vendas, estoques, compras, entre outros. O controle é uma atividade de verificação das atividades exercidas pelos departamentos e visa sempre a otimizar as execuções.

O que é compliance?

Compliance é um termo que tem origem no inglês to comply, que, traduzindo para o nosso idioma, significa agir de acordo com uma regra ou norma interna. Em outras palavras, significa estar em conformidade com as leis e os regulamentos, sejam eles internos, sejam eles externos. Nesse sentido, a empresa que se mantém sempre atenta aos preceitos normativos pode ser considerada em compliance.

O termo surgiu, especialmente, em instituições financeiras que demandam uma série de ações para garantir a transparência em suas atividades. Motivados pela onda de combate à corrupção e pela disseminação de informações para clientes, fornecedores e demais pessoas ligadas às empresas também passaram a adotar essa metodologia em suas ações.

Qual a relação entre controles internos e compliance?

Ambos os conceitos, quando analisados separadamente, podem não fazer muito sentido para uma empresa. Entretanto, quando notamos que existe uma relação direta entre eles, tudo parece ficar mais claro e simples de ser entendido.

Sabendo que a função básica do compliance é fazer com que a empresa esteja adequada a todas as normas internas, bem como às externas (leis, regulamentos etc.), focando os procedimentos rotineiros que são executados, o controle interno tem o papel de identificar possíveis falhas em procedimentos ou encontrar alguns que podem ser melhorados com a finalidade de potencializar seus resultados.

O controle interno, portanto, faz a avaliação do negócio, analisando os riscos existentes em cada um dos processos, verificando os que podem estar fora dos princípios defendidos no compliance, devendo, portanto, reformular cada um deles, de modo que possam atender a todas as exigências que são impostas pela empresa.

Powered by Rock Convert

Em muitos casos, os procedimentos diários podem ser realizados com um intuito de deixar a empresa em perfeito atendimento a todas as suas obrigações, no entanto, se não houver um controle interno capaz de validar esses processos e encontrar possíveis falhas, um empresário pode se enganar, acreditando que sua empresa está em compliance, quando, na verdade, existem pontos fracos que abrem brechas em seu negócio.

Como garantir que esse sistema funcione de forma eficiente?

Portanto, para garantir que esse sistema funcionará com o máximo de eficiência, é fundamental que você adote alguns procedimentos, os quais mencionaremos nos tópicos seguintes.

Elabore procedimentos bem organizados e integrados

O primeiro passo é apostar em procedimentos integrados e, principalmente, muito bem estruturados. O ideal é que um departamento receba, em tempo real, todos os dados que foram gerados pelo outro setor, de modo que esse segundo possa tratar essas informações e passar para o departamento seguinte, criando, assim, uma rede de transmissão de dados totalmente integrada.

Isso garante duas coisas muito importantes, tanto para o compliance quanto para o controle interno — agilidade e precisão. Afinal, além de dispensar a necessidade de realimentação de dados, ter procedimentos integrados também elimina erros simples que podem ser causados por uma falha de digitação, por falta de atenção de um empregado ou, até mesmo, por erros nos sistemas de gestão utilizados.

Utilizar procedimentos bem organizados e integrados facilita a chegada das informações até os responsáveis pelo controle interno, agilizando a análise e a tomada de decisões para evitar que possíveis erros deixem a empresa vulnerável.

Utilize sistemas bem programados

Para fazer um bom controle interno e compliance, principalmente, de forma bem estruturada e integrada, como mencionamos no tópico anterior, é necessário utilizar sistemas de alta tecnologia e, principalmente, muito bem programados.

Atualmente, é praticamente impossível pensar em um trabalho de controle interno integrado que não utilize softwares de gestão. Essas ferramentas são imprescindíveis para receber os dados de cada um dos departamentos e para transmiti-los para os outros de forma automatizada. Entretanto, além de ter a ferramenta essencial, também é importante saber como parametrizá-la de forma correta para que esse processo flua de maneira satisfatória.

Além disso, essas mesmas ferramentas também são as responsáveis por gerar todas as informações para a gestão do negócio, bem como para os profissionais envolvidos no controle interno da empresa.

Conte com uma ajuda profissional

Aproveitando o gancho do tópico anterior, quando mencionamos os profissionais envolvidos, é primordial que você conte com um apoio especializado na hora de implementar o compliance e o controle interno. Isso garantirá que suas ações serão mais precisas e evitará erros simples que podem colocar em risco todo o processo.

Como você pôde perceber, controles internos e compliance são dois conceitos que precisam andar de mãos dadas. Sem eles, é impossível garantir o sucesso de um negócio, bem como uma boa gestão de receitas e lucratividade. O empresário que consegue abrir os olhos e aplicar esses conceitos em seu negócio, certamente, projetará um futuro sólido e lucrativo para o seu empreendimento.

Gostou dessas informações? Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais. Dessa forma, mais pessoas terão acesso a esse conhecimento tão valioso.

× Como posso te ajudar?